Papai bobinho…

Por 16 Comentários


Se o título do post de hoje lhe soou familiar, tenho certeza de que Peppa Pig faz o maior sucesso aí na sua casa. Aqui, como vocês já sabem, Catarina é doida pela porquinha (não importa o que esteja fazendo, se o “Oinc Oinc” começar a tocar, ela para tudo para assistir ao desenho). Por mais estranho que pareça, até eu gosto da animação (certa vez escrevi na fan page que a filhota já havia dormido e eu ainda estava com a Peppa na minha frente! Foram tantos os comentários que passei a acreditar que, vez ou outra, várias mães também já se pegaram assistindo às histórias da família Pig sem os filhos).

Apesar de gostar do desenho e achá-lo apropriado para as crianças pequenas, uma coisa começou a me incomodar. Primeiro, bem de leve, a ponto de achar que eu estava exagerando na cisma. Até que, outro dia, Catarina reproduziu exatamente a fala de Peppa em nossa casa: “papai bobinho!”. Dias depois, foi a minha vez de ouvir: “mamãe bobinha!”. E passada mais uma semana, todos começaram a virar “bobinhos” para a filhota.

Inocentemente, Catarina usava a palavra “bobo” sem saber seu significado. E se mamãe e papai entendiam o contexto em que ela havia aprendido a fala, outras pessoas (principalmente as de mais idade) não o conheciam. E sim, ficavam chateadas.

papai pig

 

 

Claro que não é por esse motivo que proibirei Catarina de assistir ao desenho. Muito pelo contrário. Acho que é um bom exemplo de como, mesmo em um simples programa para bebês e crianças de 3, 4 anos de idade, podemos ficar atentas a fim de modular o aprendizado que nossos filhos têm com ele. Se por um lado acho ótimo que ela tenha incorporado ao seu vocabulário palavras como “atalho”, “acampamento” (que tenho certeza de que foram aprendidas com a Peppa), por outro preferi interferir para mostrar que não é tudo o que a personagem fala que é legal (e então substituímos o “bobinho” por “sapequinha”).

Agora, quando faço algo que a pequena acha engraçado, sou chamada de “mamãe sapequinha”. Para nossa família, soa muito melhor. E você, já pensou sobre o assunto? Tem alguma opinião formada? Deixe seu comentário!

 




Arquivado em: Papo de mãe Tags:

Comentários (16)

Trackback URL

  1. Olá, Nívea! Sigo vc faz algum tempo e gosto muito de suas publicações! Quanto a esta postagem, achei bem oportuna e necessária, pois, vejo que de uns tempos prá cá, os desenhos e programas infantis passaram a ser mesmo a "babá" das crianças da atual geração, e isto me preocupa. Preocupa pelo fato de que, como vc mesma afirmou, nem tudo que é produzido e exibido, com por exemplo as falas de um personagem, retratam uma realidade que queremos passar para nossos filhos, ou são verdades a serem aprendidas e seguidas! E muitos pais confiam plenamente as mentes e personalidades de suas crianças à programação da TV. Concordo também que não podemos levar nossos filhos a viverem alienados ao que acontece ao seu redor, radicalizando tudo e impedindo-os de terem lazer e diversão enquanto assistem TV. Mas, o que considero imprescindível, é, como vc fez, esclarecer em conversa amigável o que pode e o que não pode, o que é correto e o que não é, etc. Assim eles se divertem e exercitam a capacidade de discernimento desde cedo. Foi exatamente assim que fiz com minha filha, hoje com 12 anos, onde ela desde bem pequenininha desligava a TV e eu perguntava prá ela: "Cansou de ver desenho, filha" e ela me dizia: "Não! Esse que está passando eu não gostei porque ele fala (ou faz) coisas feias e eu não quero ver!". É disso que precisamos no mundo de hoje: jovens que sabem pensar, escolher, decidir, discernir! Parabéns pelo seu post, pelo seu lindo trabalho! bjos!

  2. Tatiane disse:

    Olá Nívea! Aqui em casa aconteceu a mesma coisa. Minha pequena de 2 anos e meio gosta muito de Peppa e começou a usar a expressão “bobinho”. Explicamos que isto não é legal e começamos a substituir este desenho por outros que achamos mais adequados. Ela gostou tanto dos outros desenhos (Kipper, Clifford…) que só pede para ver eles. Depois da substituição, ela nunca mais pediu para ver Peppa. Não proibimos, só demos outras opções, e que ela gostou mais.

  3. Dani Rabelo disse:

    Sabe, Ni, eu gosto muito da Peppa, mas tenho percebido algumas limitações neste “gostar” também. Não só pelo “mamãe bobinha” que a Laura passou a falar *e nós explicamos que não é legal, que só a Peppa pode fazer*, mas outras coisas tbm muito fora da realidade e as crianças não entendem.
    Laura esqueceu o boneco na casa da minha mãe e fez uma birra enorme para buscarmos pq tem um fatídico episódio da peppa que o papai quer ir buscar o boneco dela na casa da suzie.
    Vai esperando….
    Laura acha que pode pular na lama indiscriminadamente, e, por mais que não seja errado (até pq a peppa é PIG), tento explicar que poça de chuva não é o lugar mais legal para ela brincar….
    a mamãe deixa que ela e o george a ajudem a fazer o bolo, mesmo que eles façam tudo errado, ainda acha lindoooooooooo!!!!
    Eu já não deixo, só libero a Laura para estar comigo, colocar o ovo no liquidificador, mexer por 10 segundos a massa, nada de fazer sozinha, mas a laura quer. ela argumenta.
    enfim, não é que a peppa tenha problemas e eu acho que eles são ótimos!!! um desenho lindo e educativo, sim, mas ainda assim, temos visões diferentes.

    Beijos!!!

  4. Dany Lacerda disse:

    Olà, por diversas vezes jà me peguei assistindo a Peppa sem meu filho. Tambèm me preocupo muito com o que meu filho assiste, porque vejo que ela absorve muita coisa. Adorei o post. bjs

  5. Paula disse:

    Olá! Eu vou confessar que não gosto muito desse desenho não, mas como vcs podem imaginar, o meu pequeno de 4 anos adora. Eu acho que tem muitos maus-exemplos nesse desenho. Como o do episódio em que a Peppa deixa o Jorge de lado pra brincar somente com a amiguinha e a mamãe Pig o deixa lamber a tigela do bolo… Ou então, quando o Jorge (que é o preferido do meu pequeno) começa a fazer birras e chorar… isso incorporou no meu pequeno e às vezes temos que falar um pouco “grosso” com ele, pra que ele pare de fazer birras iguais ao Jorge. Sem contar que ele voltou a falar como bebê por causa do Jorge, mesmo a gente explicando que ele não é mais bebê… enfim, fico muito feliz de poder mudar de canal quando começa esse desenho…

  6. Ola algumas outras coisas no desenho tbem me chamaram a atenção, que não acho legal mais ao inves de impedir meu pequeno de ver, vou explicado que não é legal.
    Tudo é da Peppa, ela sempre desfaz do irmao mais novo, tudo tem q ser na hora q ela quer, essas coisas q influenciam sim, mas por outro lado e observando pq muitas vezes é a hora que consigo sentar um pouco pra descansar antes de dormi tento acompanhar e vou ver o q não é legal e explicar para o meu filho.

  7. Giselle Ramos disse:

    Olha, Nívea, lá em casa nossa filha ama de paixão. Mas estávamos conversando, meu marido e eu, justamente sobre isso. Quer ver o episódio da Dona Pernas Finas… A opção nossa foi procurar sempre assistir junto – sou a rainha do dobrar e passar roupa na frente da tv hehe –, ir explicando para ela desde pequena que não é legal chamar de bobinho, ou segregar os meninos, ou brincar com aranha.
    Beijo

  8. Ana Mezadri disse:

    Então, venho percebendo algumas atitudes do George em minha pequena também, por exemplo desde que o George rejeitou tomate a Beatriz não comeu mais. E sim ela adora, ainda assiste mas diminuí a frequência e só se ela pedir nós vemos. Com certeza tudo influencia eles, afinal eles absorvem muito rápido as informações, temos notado diariamente a incorporação de novas palavras em seu vocabulário, expressões utilizadas corretamente mesmo quando não tem a real noção do sentido. Temos que ficar sim muito atentos. Infelizmente nada é 100% inocente.

  9. Lígia disse:

    Adorei o post e os comentários das mamães sobre a Peppa! Assisti a uns poucos episódios e achei um desenho que eu poderia deixar meu bebê assistir, já que tem tantos outros ruins e irritantes. Mas é bom saber que existem outros mais aprovados pelas mamães que, assim como eu, querem que seus filhos absorvam cenas mais saudáveis nestes desenhos 😉

  10. Pois é… hoje fiz o aniversário número 3 da minha caçula. O tema? PEPPA…. e durante a festa comentei isso com outras mães… além de que Milena a minha maior de 4 anos, já chamou o meu marido de Bobinho, papai Pig é muito irresponsável, faz a Peppa e o George mentir para a mamãe, da risada das besteiras que a Peppa faz, arrota e da risada… Mas prefiro que ela assista Peppa e não Cocoricó que a primeira e última vez que eu assisti tava cantando a música nogenta do "Cocô" kkkk Adoro Dora Aventureira!!! e o Disney Junior, Princesinha Sophia é muito lindo!!!

  11. Sakira disse:

    Nossa por um momento achei que isso era apenas comigo, meu filho também ama a peppa, e tem a mesma mania de chamar a todos de “bobinho(a) “. Isso realmente e uma situação que incomoda por que nem todas as pessoas sabem o que significa a eles, e em muitos casos tive que explicar. Mas ele já parou com isso, mas ainda não importa o que aconteça ele quer ver a peppa hehe

  12. Camila Silva disse:

    O "papai bobinho"vem do "silly daddy"que em inglês não tem essa conotação pejorativa que tem em portugues. Foi algo que não souberam traduzir na hora de passar para o portugues.

  13. Jenifer disse:

    É muito bom saber que não sou somente eu que vejo algumas coisas de errado em um desenho, não somente a questão do bobinho que pelo visto as crianças estão falando, mas por outras coisas como as pirraças da porquinha e do irmão ou achar que sempre é a sua vez. Minha pequena ainda assiste algumas vezes mas procuro estar junto para poder conversar com ela e explicar que não se pode fazer todas as coisa que a Peppa faz e que algumas delas não são legais… Bjs

  14. Alexandra disse:

    Encontrei esse tópico por acaso e nunca vi tanta gente falando besteira pois um desenho animado faz adultos alienados acreditarem que isso vai influenciar os filhos . Tanta baboseira . Deixem seus filhos e filhas viverem pois devem ouvir coisa muito pior de parentes e até mesmo dos próprios pais . Pra resumir vão procurar ajuda pois estão com algum problema psicológico esses mães. Tenho duas filhas que adoram esse desenho e nunca vi qualquer problema . Percam seu tempo com coisas mais relevantes

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail