Assaduras no bebê: saiba como prevenir e tratar

Por 3 Comentários


Você vai trocar a fralda do seu bebê, como faz todo santo dia, e de repente lá está ela: vermelha, irritada, deixando seu filho desconfortável. Pois é, atire a primeira pomada quem nunca se deparou com uma assadura, mesmo com todo o cuidado do mundo a cada troca de fralda!

Para ajudar a amenizar este drama, fizemos um miniguia para você manter o bumbum do seu bebê bem longe desse conforto. Espero que ele seja útil para você!

Assadura 1

 

O que causa as assaduras?

Quando o bebê faz xixi na fralda, a urina fica em contato com a pele, modificando seu pH. A derme, então, fica mais sensível ao contato da própria fralda. À medida que esta se fricciona contra a pele (quando o bebê anda, se movimenta, levanta, abaixa…) surgem a vermelhidão e o ardor, como se a pele “assasse” mesmo.  A irritação normalmente abrange toda a área genital, até o ânus, e pode se espalhar pelo bumbum e até pelas dobrinhas da perna – todas as regiões que estão em contato com a fralda. Não é à toa que as assaduras são chamadas por muitos médicos de “dermatite de fralda”, já que as áreas afetadas são justamente aquelas que ficam em contato com ela.  Nos bebês mais gordinhos (e cheios de dobrinha!) as assaduras podem aparecer também no pescoço e na junta dos braços, por causa do próprio suor, que piora o esfrega-esfrega da pele entre as áreas mais fofinhas.

 

Como combater as assaduras?

Como a principal causadora da irritação é a umidade, o mais importante para deixar a vermelhidão bem longe do bumbum do seu bebê é mantê-lo sequinho. Para isso, é necessário trocar a fralda toda santa vez em que o seu filhote sujá-la. Isso porque, por melhor que seja a qualidade da fralda, nenhuma consegue manter o bebê 100% sequinho.

Os recém-nascidos e bebês mais novinhos não têm muito horário para urinar ou defecar e por isso precisam ser trocados com mais frequência. Já os bebês maiores, apesar de terem horários mais regulares (a fralda deve ser trocada em média a cada três horas), podem ser acometidos por assaduras por causa de mudanças nos hábitos alimentares ou devido a diarreias.

 

Há algum período em que as assaduras são mais frequentes?

No verão, a própria transpiração, que faz a fralda ficar suada, pode aumentar a incidência. Em compensação, no inverno, quando é mais difícil perceber se a criança está com a fralda suja por causa das camadas inacabáveis de roupa, o pequeno pode ficar mais tempo sem ser trocado, o que também aumenta as chances de a irritação começar. Por isso, é preciso sempre checar com carinho se tem algum resquício de assadura toda vez que for trocar a fralda do bebê. Por volta dos dois anos, quando a criança começa a ir ao banheiro sozinha e usar cueca/calcinha, as assaduras tendem a desaparecer.

 

Qual é o jeito certo de trocar a fralda?

Lave a região dos genitais com água morna, quando houver só xixi. E o bumbum com água morna e sabonete infantil, quando o filhote fizer cocô (confesso que mesmo nessas situações eu só usava água e também dava certo; mas minha filha não era muito susceptível às assaduras, de qualquer forma). Seque bem a região com uma toalha macia, mas sem esfregar, e depois aplique pomadas à base de óxido de zinco e petrolato, que formam uma camada protetora, preservando a pele do atrito causado pela fralda, e ajudam a derme a se refazer. Cremes de calêndula e com vitaminas A e D também funcionam.

Se seu bebê costuma ter assaduras com frequência, convém mantê-lo longe dos lenços umedecidos (que podem agredir a pele de alguns pequenos), pelo menos até que a condição se normalize.

 

Há algum “remédio caseiro” contra assaduras?

Sim, a maisena funciona mesmo! Eu aprendi com minha mãe (que aprendeu com a mãe dela) a colocá-la na água do banho do bebê, quando a vermelhidão começar. Outra opção é fazer uma pastinha apenas com maisena e água, e colocá-la sobre a pele do bebê antes de colocar a fralda. Faça isso em algumas trocas de fralda, para que o efeito apareça.

Outra dica interessante é, sempre que possível, manter o bebê sem fralda (o que, obviamente, é mais fácil no verão). Deixar a pele respirar facilita muito a melhora e a prevenção das assaduras.

 

As assaduras podem se tornar algo mais grave?

Se chegarem a um estado mais avançado, as assaduras podem causar o aparecimento de bolhas e até de feridas na pele. Nos casos mais sérios, as feridas podem ser porta de entrada para a instalação de micoses, como a candidíase (mesma causadora do sapinho) e até de infecções bacterianas. As micoses normalmente aparecem em bebês que estão tomando antibiótico, já que o medicamento mata as bactérias que inibem naturalmente a proliferação dos fungos no corpo do bebê. Já nas infecções bacterianas , surgem placas amarelada nas áreas lesionadas e o seu filho pode ter febre – se for esse o caso, procure rapidamente um pediatra.

Agora que você já sabe de tudo isso, não precisa se preocupar: se tratada direitinho, a assadura deve sumir em dois dias.

Veja também:

Qual é o melhor creme anti-assaduras

A melhor fralda para meu bebê




Arquivado em: Cuidados diáriosSaúde Tags:

Comentários (3)

Trackback URL

  1. TATIANA NOVAES disse:

    Parabéns pela iniciativa de nos passar tais informações …

    Nós mamães, agradecemos !!!

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail