As pérolas de uma mini gente de 3 anos!

Por 0 Comentários


catarina

Fotografia: Gabriela Braun – Summerville Beach Resort

Uma das partes mais divertidas de ser mãe de uma criança de 3 anos é ouvir seus pensamentos sobre a vida. Pequenos dessa idade têm uma lógica muito própria, e é impressionante como muitas vezes mais exata do que a nossa! Parece que com o tempo perdemos a capacidade de ser tão objetivos como eles – as coisas passam a ter dois, três ou até mais significados. Mas para eles não, e essa simplicidade é muito bonita de se ver!

Catarina começou a falar com mais desenvoltura há quase um ano; mas foi de 6 meses para cá que sua capacidade de argumentar, discutir, responder e elaborar pensamentos mais complexos se fez notar. E durante esse período foram muitas as “pérolas” que ela falou. Tão meigas e engraçadas, que eu quis compartilhar com vocês aqui no blog. Vejam se não é para morrer de amor!

Sobre a briga com o amiguinho (quando ele tentou tirar um brinquedo de sua mão e ela deu um tapa no coitado): “Catarina, que coisa feia, você bateu no seu amigo?”. “Não, mãe, o ombro dele que empurrou a minha mão!”. (olha a cara-de-pau!)

Sobre o amor: “Filha, eu te amo o tempo todo”, eu disse a ela. “Mãe, eu também te amo o tempo todo. Às vezes eu te amo muitão, outras vezes só um pouquinho!” (desaforo!)

Sobre a mãe (quando eu perguntei a ela se me achava brava): “Mãe, você é brava só quando acorda” (será que é porque ela me chama às 3 horas da manhã???)

Sobre auto-estima: “Mãe, eu sou muito legal!” (e não é que ela tem razão?)

Sobre a noção de tempo:“Mãe, no amanhã a gente vai na casa da vovó?”. Ao que eu respondi: “Não, filha, vamos hoje na casa da vovó”. Ah, mãe, você mudou de ideia! Ontem você me disse que era no amanhã!”.

Sobre a casa própria: “Mãe, quando eu crescer eu vou ter uma casa só minha! Mas você vai poder me visitar, tá? (oh, menina, é CLARO que eu vou poder te visitar, eu sou sua MÃE!)

Sobre atividades extra-curriculares: Perguntei à ela se ela preferia fazer aulas de balé ou de natação, imaginando que seria interessante colocá-la em uma atividade esportiva. Ao que ela respondeu: “nem balé, nem natação, mamãe. Eu quero mesmo é fazer teatro!”.

Sobre Natal e Papai Noel: “Filha, o que você quer que o Papai Noel traga de presente para você?”. Ao que ela respondeu: “Uma borboletinha que faz chocolate!”. Eu gelei só de pensar em como sair da enrascada e falei: “mas, filha, você não prefere uma massinha, uma boneca, uma fantasia?”. “Oh, mãe, se fosse para pedir algo que dá para você comprar na loja de brinquedos, não precisava pedir para o Papai Noel, né?”.

A outra pérola sobre o assunto, dita na noite de Natal, assim que Papai Noel chega em nossa ceia: “Esse não é o Papai Noel de verdade. Na parte de trás da cabeça, ele tem cabelo preto! Mas tudo bem, eu gostei do presente que ele trouxe”. (por quanto tempo será que ela vai acreditar, se com três anos recém completados já nota uma coisa dessas?)

E você, tem uma pérola do seu filho para contar? Quer compartilhar com a gente? É só deixar nos comentários!




Arquivado em: Papo de mãe Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail