Entre sangue, suor e lágrimas, amamentar é um ato de imenso amor

Por 29 Comentários


Nesses dias eu estava me lembrando do tempo em que amamentei Catarina. Por nove meses, ela mamou no peito (sendo que apenas durante o primeiro mês não foi necessário o uso de complemento), e eu posso dizer com absoluta certeza que esses foram os melhores momentos que passamos juntas durante seu primeiro ano de vida. Eu achava muito bom amamentar, e para essa percepção talvez contribuísse o fato de que os minutos em que ela passava no peito eram dos poucos em que eu tinha de paz, logo que ela nasceu. Como eu já comentei em diversos posts, ela foi um bebê que chorou demais (porque dormia de menos), e ficar no peito a acalmava. Então quando nada mais resolvia, eu a colocava para mamar, nem que fosse para tranquilizar ambas – mãe e filha.

leite

Mas antes de chegar no ponto em que eu conto a maravilhosa sensação de amamentar um filho, tenho que voltar ao dia em que Catarina nasceu. Porque antes de ter alegria nesse ato, eu (como 99,9% das mães que eu conheço, só para não dizer 100%) senti uma dor enorme, daquelas que fazem as lágrimas correr pelo rosto. A primeira mamada, que aconteceu logo depois do nascimento da pequena, foi bem enganadora. Eu ainda não tinha leite, só uma quantidade pequena de colostro, e achei muito engraçado ter um bebê tão pequenininho ali no meu peito (fazia cócegas!). Claro que Catarina ainda nem sabia onde estava, mas foi impressionante constatar que ela sabia exatamente o que fazer: sugar! Por reflexo, ela procurou o peito e ficou ali, sugando bem fraquinho. Aí eu pensei: “puxa, era só isso? Está fácil!”

Ah, quanta ingenuidade! A filhotinha ainda não tinha mostrado sua força, ou melhor, sua fome! Porque na última noite em que passamos na maternidade, o leite ainda não havia descido. E a pequena estava faminta! No meio da madrugada ela ficou uma hora e meia no peito, e foi nesse momento que eu entendi o que me esperava pela frente. Porque, obviamente, depois dessa mamada, meus peitos ficaram em uma situação deplorável!

Por mais que alguém te diga que as primeiras semanas de amamentação doem, por mais que você se prepare psicologicamente para isso, por mais que você tente preparar o bico do seio durante a gestação, a verdade é que você não sabe como enfrentar a dor que sente. A não ser que seja sua segunda, terceira gestação, porque aí você sabe exatamente o que esperar (não dá para esquecer!). Dói a ponto de você chorar enquanto o bebê mama; dói a ponto de você não conseguir encostar o sutiã no bico, dói para passar a pomada cicatrizante, dói a ponto de você pensar em desistir da amamentação, por mais que acredite na importância dela para a saúde do filhote. Sangra. E você só persiste porque está convencida de que não existe leite melhor no mundo do que o materno.

Eu faço questão de contar tudo isso para ser um motivador para aquelas mães que estão nas primeiras semanas do pós-parto. Porque quando a gente ouve de outra mulher que ela passou pelas mesmas dificuldades, que também pensou em desistir, a gente se sente mais humana. E ouvir que tem luz no fim do túnel anima a continuar naquele caminho! Então agora eu conto o fim da minha história: depois de duas semanas, a dor começou lentamente a diminuir. E depois de um mês eu não sentia dor alguma ao amamentar. Muito pelo contrário: era tanto hormônio (produzido em resposta à sucção do bebê) circulando no corpo, que eu ficava relaxada, molinha, com um sono tão bom…! Mas a melhor parte era sentir o vínculo de amor que a amamentação nos proporcionou.

Eu sei que muitas mães não conseguem amamentar seus filhos. Ou que amamentam por um mês e param. Ou por seis meses e acham que está excelente. E outras que amamentarão por anos. Algumas farão amamentação exclusiva, outras não conseguirão. Eu acho que a história de amamentação de cada uma é única e deve ser respeitada. Se você não puder amamentar no peito, coloque seu bebê junto à sua pele para dar a fórmula, aconchegue-o. Se você puder amamentar, aproveite essa oportunidade de nutrir seu bebê com seu leite, que é riquíssimo em nutrientes e anticorpos. Seja como for, mostre ao seu filho a imensa felicidade que ele trouxe para sua vida!




Arquivado em: AmamentaçãoCuidados diários Tags:

Comentários (29)

Trackback URL

Sites que possuem links para este Post

  1. 4 posições para amamentar o seu filho! : Mil dicas de mãe | 4 de agosto de 2015
  1. Renata Rijo disse:

    Também tive dificuldades para amamentar, minha filha nao conseguia pegar corretamente então nao mamava direito. E, como marinheira de primeira viagem, eu nao sabia se ela mamava ou nao. Com 15 dias de nascida ela perdeu quase 1kg, foi horrivel ouvir isso da pediatra, me senti culpada, pessima mãe…passa varias coisas na minha cabeça, mas tive grande apoio do meu marido e da pediatra, pois eu tinha bastante leite e minha filha estava bem de saude, apenas abaixo do peso. Li mto sobre amamentação, assisti varios videos, inclusive os da internet, para me ajudar na pega e nas posições para amamentar. A medica tb me auxiliou a esvaziar um pouco o seio antes dela mamar qdo estivesse mto cheio, para que ela conseguisse “pegar” corretamente, pecebi que as vezes ela pegava, mas era mto dificil pra ela, entao resolvi testar o bico de silicone da Avent. Foi perfeito, ela pega de primeira ate hj sem nenhum problema, alem de proteger um pouco o bico do seio, dá pra ver o leite saindo. Assim, ela começou a ganhar peso. No entanto, um dia ela pegou errado e eu fiquei com pena de mexer pq ela mamava tao bem e acabou rachando meu bico esquerdo, doeu bastante, sangra ainda, já tem quase 3 semanas e nao cicatrizou. Tenho evitado dela mamar nesse peito as vezes, tirando c a bomba e dando na mamadeira, alivia e percebo que qdo comecei a deixar o bico “descansar” algumas mamadas, parou de doer e melhorou um pouco. Passo a pomada de lanolina e minha medica prescreveu o bepantol pra cicatrizar (ajudou!). Estou preocupada de ter fungo associado (ja li sobre isso) e a pediatra recomendou pomada apropriada, pois disse que nao demora tanto pra cicatrizar. Desde que comecei a enfrentar + esse obstaculo, esse seio ameaçou empedrar 2 vezes, comecei a senti mta dor e reparei que nao saia + a quantidade de leite que costumava sair. O que me ajudou a nao empedrar foram bolsas de agua quente durante a mamada (cuidado c o rostinho do bebe) e tirava o leite desse peito c a bomba tb, ate esvaziar. Consegui que nao empedrasse. Hj minha princesa está com quase 3 meses, ganhou peso, cresceu, está mto saudavel. Ainda dói um pouco pra amamentar do esquerdo, mas a amamentacao ja é prazeirosa como nao era no primeiro mês. Normalmente ninguem nos avisa das dificuldades da amamentação, aprendemos na vivencia, na hora. Assusta um pouco, mas acredito que vale a pena insistir, tentar, pq é otimo tanto pro bebe como para mãe. Apoio da familia e a tranquilidade da mãe sao essenciais na minha opiniao. Espero que minha pequena experiencia possa ter ajudado alguma mãe!

  2. Selma Santos disse:

    minha filha está com 2anos e meio e não sei como tira-la do peito está doendo muito passo pomada mas não resolve!

  3. Oi, Renata, que lindo seu depoimento! Mostra que é preciso insistir, e que vale a pena! Ter bons profissionais dando suporte e apoio da família é fundamental, né? Com certeza será fonte de inspiração para muitas leitoras!
    Grande beijo
    Nívea

  4. Difícil situação, Selma! Vai conversando com a filhota, explicando que está na hora de largar o peito, que ela já está grande! Com muita conversa você chega lá!
    Bjs
    Nívea

  5. Verdade mesmo, amamentei a Isabela até os 6 meses, hoje com 1 ano e 10 meses ela ainda mama de vez enquando.Quanto a dor dos primeiros dias é muito forte, dá vontade de não amamentar.Mas um fim dá tudo certo.

  6. Minha Filha mamou ate os 8 meses , durante os 8 meses so peito, e uma experiencia maravilhosa, hoje ela esta com 1 e 6 meses nunca tomou um remedio graças a Deus e ao leite materno.

  7. Camila disse:

    Minha Filha irá completar dois anos no próximo dia 19, e ainda mama no peito, não fica doente e é uma linda. Com certeza existem obstáculos e realmente nem sempre é muito prazeroso amamentar, mas pensando no amor pelo seu filho vale a pena tentar.

  8. Viviane disse:

    Muito bom o post, um dos melhores que li, fala da importância de superar os obstáculos da amamentação, q nao sao fáceis, e seguir amamentando, cada uma a sua maneira. Sou contra os radicalismos do ministério da saúde e afins, que dizem que toda mãe produz a quantidade que o bebê precisa, nao é verdade, minha bebê vai fazer 6 meses e toma leite do peito e fórmula, senão fica com fome. E eu fiz de tudo, tomei litros de água, usei remédio pra produzir prolactina, ela mamava o tempo todo com boa pega, e nada. Acho que foi muito stress e ansiedade, nao há outra explicaçao… Mas mesmo assim persisti, nem que fosse intercalando os dois tipos de leite. Então, seria bom que as blogueiras naturalistas de plantão parassem de dizer que é sempre possível porque nao é,eu sou prova disso.

  9. eu estou passando por isso, pois minha bebê esta com 16 dias e dói bastante mas não vou desistir !

  10. no primeiro filho a amamentação não foi possível, segundo rejeição de pontos na minha cirurgia e tive que tomar muitos remédios e o bebê não podia mamar na segunda gestação foi tão bom amamentar, que amamentei até os dois anos e meio, doi? doi sim mas é uma dor prazerosa.

  11. Cristina disse:

    Meu filho vai completar um mês amanhã e praticamente não tive dor ao amamentar. O segredo foi colocar umas conchas de prata (silverette) no sutiã depois de cada mamada. Parece que prata tem efeito anti-septico e com o leite materno ajuda a cicatrizar. A única desvantagem dessas conchas é que o peito fica meio esquisito por baixo da blusa (parecia que o meu mamilo estava enorme), mas eu não estava nem aí para isso, afinal o fato de poder amamentar sem dor desde o início é muito mais importante! Eu acho difícil encontrá-las no Brasil, mas sei que tem na Itália (é um produto italiano) e eu comprei em Genebra, onde eu moro. Também vi um link de um site inglês que vende as conchas (http://www.breastangels.co.uk/) e pesquisando na internet com certeza tem em outros lugares tb. Então se alguém puder comprar, eu realmente recomendo! Eu recebi a dica no hospital onde eu tive meu filho e todas as parteiras de lá recomendam. Também tenho amigas que usaram e não tiveram problema nenhum ao amamentar.

  12. Laiana disse:

    Meu pequeno Lorenzo tem 02 meses agora. O primeiro mês foi de rachaduras e feridas no bico do peito mas algumas coisas ajudaram a reverter isso: primeiro, desde a gestação eu esfregava durante o banho da noite uma esponja de limpeza facial no pico dos seios em dias alternados; durante o dia inteiro usava aquelas conchas de silicone rígido com tampa para ‘formar’ o bico; depois eu sempre primei pela ‘pega’ correta do meu menino e isso sim é o que ajuda a não ferir; e ainda, após cada mamada eu usava uma pomada que fez maravilhas e q ainda hj passo, uma tal de Millar que consiste apenas em lanolina e q por isso não faz mal ao bebê. Como meu leite demorou a aumentar eu dava de mamar a todo custo e não me importava com ferida nem nada (eu nem sentia a dor tamanha era a vontade de amamentar), dava o peito toda hora ‘nem que o sangue descesse’ pois pra mim importante era alimentar minha cria… 😉 Bjos…

  13. Nívea Salgado disse:

    Meninas,

    Como sempre, adorei o depoimento de vocês. Para mim foi uma grata surpresa saber que nem todas sentiram dor ao amamentar, vejam como eu aprendo aqui com o blog! Acho que o relato de vocês é importante para incentivar muitas novas mães, mostrando que as dificuldades podem (ou não!) acontecer, mas que podem ser superadas! E que depois disso, amamentar é maravilhoso!

    Grande beijo a todas,

    Nívea

  14. É isso aí, Tania, não desiste não! Vale a pena suportar essa dor inicial, porque a recompensa é boa demais! Vai em frente e estamos aqui se precisar! Grande bj!

  15. Guia Alves disse:

    é a melhor sensação do mundo estou amamentando minha filha a 12 dias e não senti tanta dor assim.e olha que é minha primeira experiência como mãe.Isabelle é minha vida

  16. Kennya disse:

    Nossa o texto é lindo. Expressa tudo aquilo que senti e sinto pela minha filhota. A dor é insuportável… mas é o momento mais lindo, mais prazeroso, mais tudooooooooooooo… E na hora a gente fala que não quer mais ter filho e se tiver não vai amamentar mais… mentira!!! Passou uns meses e eu estou aqui querendo outra… ou outro e passaria e faria tudo de novo!

  17. …aí está um assunto muito importante que merece muito a atenção das mães. Sabemos que a natureza já foi feita para nos fornecer as condições certas para cada momento da vida, mas tem algumas situações em especial que a mãe não dispõe de saúde suficiente para amamentar então tem que recorrer a um outro leite e também tem aquelas que caem fora pelas dores e desconforto, mas uma mãe de verdade não vai cair fora não, vai encarar a bronca rsrsrs.

    …recomendo os artigos do blog http://www.decoracaodecoracao.com sobre decoração para crianças e etc, abração 🙂

  18. Carolina disse:

    Parabéns pelo post! Adorei!
    Em meu blog (viamater.blogspot.com.br) compartilhei algumas dicas sobre como aumentar a produção de leite, que podem ser úteis a algumas leitoras!
    Abs

  19. Eu dou o peito a minha bebê sempre ( a livre demanda) porém tenho que complementar pois tenho pouco leite, tomo Plasil desde o primeiro mês e detesto dar o complemento me sinto culpada por ter que dar fórmulas infantis, deixo pro ultimo momento tipo quase exclusivo o peito, só dou a fórmula a noite, no fundo eu queria só que ela mamasse no peito, mas infelizmente não é assim, mas não vou desistir de amamentar, minha bebê tem 4 meses, conto com seus comentários Mil Dicas de mãe

  20. Eu dou o peito a minha bebê sempre ( a livre demanda) porém tenho que complementar pois tenho pouco leite, tomo Plasil desde o primeiro mês e detesto dar o complemento me sinto culpada por ter que dar fórmulas infantis, deixo pro ultimo momento tipo quase exclusivo o peito, só dou a fórmula a noite, no fundo eu queria só que ela mamasse no peito, mas infelizmente não é assim, mas não vou desistir de amamentar, minha bebê tem 4 meses, conto com seus comentários Mil Dicas de mãe

  21. Valéria Andrade , tudo bem, querida? Obrigada pelo seu comentário, me fez lembrar exatamente o que eu passei com minha filha Catarina. Assim como você, eu não desisti de amamentar e fiz de tudo para ter bastante leite (só não tomei remédios, mas de resto eu fiz). Eu tive que dar complemente em quase todas as mamadas, e também me sentia culpada. Hoje eu vejo que nem sempre todas as mães tem a quantidade de leite suficiente, e que não deveríamos nos sentir culpadas por isso. Se você se alimenta bem, toma bastante líquido (isso é muito importante), tenta descansar e amamenta em livre demanda, e assim mesmo tem que complementar, está fazendo o melhor que pode e deveria se sentir orgulhosa disso! Eu te admiro, viu? Acho que o importante é você continuar a fazer o que está fazendo e, se precisar complementar, não é o fim do mundo. Não é por isso que sua filha vai largar o peito (a minha mamou até 9 meses, mesmo complementando).
    Grande beijo e parabéns pela ótima mãe que você já mostra ser,
    Nívea Salgado

  22. É exatamente isso! Parabéns pelo texto!

  23. Mari Marinho disse:

    e isso ai eu passei por isso mas depois acostuma minha filha tem um ano e dois meses e ainda mama

  24. Eunice disse:

    Olá Nívea boa noite, passeando pela internet encontrei seu post, q me deu uma injeção de ânimo, tenho um bebê de 7 meses, Samuel , que até os quatro meses se alimentou exclusivamente no peito, quando tive q voltar p a faculdade e entrei com frutas, aos quatro meses e papinha salgada com 5 meses. Tirei leite para deixar p ele enquanto pude, comprei uma bomba elétrica (matern Milk barata e boa). Até então tinha muito leite não podia reclamar, comprei mamadeira MAM para dar o leite, pq a pediatra disse q era melhor p ele não largar o peito, literalmente sequei, estou com 43k (o que me incentivou a te escrever. Me identifiquei). Sempre fiz de tudo para amamentar, com o estresse da faculdade meu leite diminuiu muito e aos 6 meses quase não saia na bomba, então tentava amamentar ele comigo o máximo possível, e como estudo a tarde, deixava o almoço,as frutas e fórmula p o berçário a partir das 13 hrs. Mas ultimamente meu pequeno boizinho, que está com 8,5k (e a mãe só secando) está com preguiça de mamar; e não é por mamadeira é por comida mesmo. Ele troca o peito por qualquer coisa, papinha de beterraba, todas as frutas, até abacate puro, mas mamar só de manhã quando acorda, durante o dia ele prefere coisas mais sólidas, estou ficando desesperada com medo dele largar o peito, e por ele sugar menos meu leite secar etc. Todos me dizem p não desesperar pois como ele se alimenta bem e tenho o maior cuidado em fazer papinhas balanceadas, e complementar com formula ele ficará bem nutrido. Mas n queria q ele largasse o peito. Obrigado pela atenção. Eunice.

  25. Nívea Salgado disse:

    Oi, Eunice, tudo bem?

    Muito obrigada por compartilhar conosco sua história. Tenho certeza de que muitas outras mães se identificarão com ela 🙂

    O mais importante é que seu filhote está ótimo, não é mesmo? Mesmo assim eu sei que dá um aperto no coração quando se pensa no desmame, né?

    Mas fique tranquila, tenho certeza de que vocês se adaptarão a uma nova fase, que será ainda mais gostosa.

    Grande beijo,

    Nívea

  26. Excelente. …foi assim comigo.

  27. Marianna disse:

    Ola Nivea, pq vcvteve que complementar a Catarina e quando vc a complementava?

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail