Música para bebê: antes e depois do nascimento

Por 7 Comentários


Se você está grávida ou é mãe de um bebê que acabou de nascer, provavelmente já se perguntou quais os benefícios que a música pode trazer para seu filho. Por muito tempo, acreditou-se que expor seu bebê (mesmo que durante a vida intra-uterina) à música clássica poderia estimular seu desenvolvimento cerebral e aumentar seu QI. Hoje sabe-se que isso é um mito e que o real ganho da música para seu bebê vai além do estilo musical a que ele é exposto. Durante a gestação, o efeito que a música pode ter sobre o feto está relacionada, primeiramente, às sensações que ela provoca na mãe. Ou seja, se você ouve uma música de que gosta, isso fará com que se sinta mais calma e relaxada, o que promoverá um maior bem-estar também ao bebê (independente de ser uma ópera, um jazz ou uma música romântica). Aliás, na gravidez, tão ou mais importante do que ouvir as canções e esperar que seu bebê esteja lá dentro também escutando é cantar para seu filho. A voz da mãe é o som que seu bebê ouve mais claramente e as músicas que você entoar no último trimestre da gestação serão lembradas após o nascimento. A memória musical do feto foi inclusive demonstrada em um estudo francês recente, que demonstrou a diminuição da frequência cardíaca de bebês de apenas seis semanas quando expostos a melodias que ouviram ainda no útero, o que demonstra que esses sons foram capazes de acalmá-lo.

Música para bebê

 

Depois do nascimento, a influência da música sobre seu filho é ainda maior. Além do efeito calmante (há muitas mães que relatam uma diminuição do choro do bebê quando ligam o som – e minha experiência pessoal como mãe me mostrou exatamente isso), a música realmente pode melhorar a memória e capacidade de verbalização de seu bebê. Você não precisará de brinquedos ou DVDs especialmente desenvolvidos para os pequenos: basta que ligue seu som ou celular em uma música agradável (e em volume que respeite o ouvido sensível dos pequenos), que o benefício da música já está acontecendo.

O maior efeito da música sobre seu filhote, no entanto, acontece quando ele pratica um instrumento. Como bebês de poucos anos ainda não tocam violão ou leem partituras, o melhor nessa fase é incentivar a experimentação e criatividade do bebê, explorando sons em sua própria casa. Você pode usar panelas, improvisar chocalhos usando frascos com grãos e é claro, dar ao bebê seu primeiro xilofone ou pianinho. Nada precisa ser forçado: aos poucos ele descobrirá os sons e, com seu incentivo, o gosto pela boa música!




Arquivado em: DesenvolvimentoDiversão Tags:

Comentários (7)

Trackback URL

  1. Lígia disse:

    Adorei o post de hoje!
    Seu site inteiro está de parabéns! Descobri há algumas semanas e acho todas as informações super úteis, seu conteúdo é o melhor de todos que tenho visto.
    Mais uma vez, parabéns! Estou seguindo =)

    • Nívea Salgado disse:

      Oi, Lígia, fiquei muito feliz com seu comentário! É exatamente por mensagens como a sua que continuo esse trabalho! Um grande beijo, espero sempre vê-la por aqui.
      Nívea

  2. Angélica Reis Baggio disse:

    Fiz yoga e natacao minha gravides inteira e durante as aulas de yoga ouvia sempre algumas musicas que me trasiam conforto e tranquilidade e depois que meu bebe nasceu ele adora tomar banho por causa do barulho da agua e dorme muito bem com as musicas que ele ouvia em meu ventre fez toda a diferenca ! E um bebe calmo e tranquilo ,
    Angelica

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail