Transição de sonecas: como sobreviver a elas sem (muito) stress

Por 19 Comentários


Antes de ser mãe eu tinha uma vaga ideia da importância do sono para um ser humano. Lógico que eu sabia que noites mal dormidas tinham um preço a ser pago; que depois de dias sem dormir bem a pessoa ficava irritada, nervosa e com a capacidade de resolver problemas diminuída. Mas eu ainda era um jovem na casa dos 20, época em que você se acha uma super mulher por conseguir dormir 3 horas numa noite e estar com a cara boa no dia seguinte (cá entre nós, mulher maravilha você descobre que é depois da maternidade, em que você passa não uma, mas MUITAS noites dormindo somente 3 horas e mais umas 20 horas por dia cuidando e amamentando um recém-nascido).

sono do bebe

 

Depois que Catarina nasceu, eu comecei a valorizar muito mais o sono. E não só o meu, mas principalmente o dela (até porque quanto melhor ela dormia, melhor eu comia, descansava, tinha tempo para resolver os problemas da casa, trabalhava e, finalmente, dormia). Filha com sono em dia = mãe feliz; filha com problemas de sono = criança chorona, teimosa, que não coopera, impaciente = mãe pedindo pelo amor de Deus para essa fase passar logo.

E falando em sono, algumas das fases de maior conflito aqui em casa foram as de transições de soneca. Quanto mais o tempo passa, menor o número de vezes que seu filho dorme, até que, por volta de 3-4 anos provavelmente ele deixará de dormir durante o dia (para algumas crianças até antes disso). Quando Catarina tinha 8 meses, abandonou a soneca do fim da tarde (que era por volta das 17h), e ficou apenas com uma de manhã e outra à tarde. Lembro-me que foi uma época caótica (que muita gente atribui ao início da ansiedade de separação; cá entre nós, não sei até que ponto eu concordo com isso – acho que há MUITA influência da transição de soneca, que para muitos bebês acontece nessa época), em que minha filha acordava durante a madrugada e ficava uma, duas horas sem dormir, por maiores que fossem meus esforços. E assim como a fase veio do nada, acabou do nada. Passamos depois disso meses relativamente calmos, em que a soneca da manhã e a da tarde eram bem reguladas, até que por volta de 1 ano e 5 meses Catarina começou a demonstrar que estava em nova fase de transição. A soneca da manhã acontecia cada vez mais tarde, o que atrasava a soneca da tarde. Depois de alguns dias, era praticamente impossível fazê-la dormir num horário decente à tarde (ela chorava, protestava, não queria pegar no sono de forma alguma; mas era só bater 18h que a danada queria dormir, aí era eu quem não queria deixar). Resultado: briga o dia inteiro, criança cansada, mãe mais cansada ainda. Deixar que ela dormisse no fim da tarde fazia com que ela só quisesse dormir definitivamente às 23h (o que para mim estava fora de cogitação); não deixar significava que ela dormiria por volta de 20h, cansadíssima a ponto de acordar a noite inteira (2, 3 vezes). Ninguém merece!

A solução veio por acaso, num dia em que saí de carro com Catarina por volta das 16h. Sentadinha na cadeira, com o barulho do ar condicionado ligado, ela não resistiu ao soninho (se estivesse em casa, não dormiria nesse horário nem com reza brava!) e dormiu durante o trajeto, cerca de 30 minutos. Acordou feliz, foi dormir por volta de 21h e DORMIU A NOITE TODA (como tinha acontecido raríssimas vezes desde que havia nascido). A mamãe aqui, que quase chorou de alegria com o resultado, no dia seguinte resolveu reproduzir o esquema: saí de carro com a pequena no mesmo horário e PIMBA! Ela dormiu um pouquinho e tudo aconteceu como no dia anterior, até a NOITE INTEIRA DE SONO. E assim eu fiz, por uns 15 dias (eu sei, vocês que estão lendo esse post devem estar me achando louca), e foi quando finalmente Catarina começou a dormir quase todas as noites (e nos dias em que não saí de carro, a noite foi infernal). Depois naturalmente a soneca da manhã se transformou em soneca depois do almoço, e percebi que a transição já tinha ocorrido.

Portanto, fica a dica: em épocas de transição de soneca, saia de carro (rsrsrs). Seu filho pegará no sono mais facilmente do que em casa (se ele for do tipo que dorme em carro), e conseguirá chegar ao fim do dia sem chegar ao ponto de exaustão. O pequeno agradece, mamãe mais ainda!




Arquivado em: ComportamentoCuidados diáriosDicas de mãeSono do bebê Tags:

Comentários (19)

Trackback URL

  1. Graziela disse:

    kkkkkkk
    os filhos mudam e a gente q se adapte né??? kkkkk
    Eu trabalho de madrugada das 00h as 06h… trabalhei esse horario a gravidez toda… logo: meu filho é na noite tbm…
    Eu saio pra trabalhar e ele me dá tchau.. fica acordado até umas 2h da manhã (minha mãe não tem pulso com ele… )depois dorme até as 11h30, almoça, brinca e tira um cochilo as 15h… depois mais um as 19h …. mais tarde que isso significa ele dormindo depois das 04h da manhã…
    Qdo eu estou de folga.. ele dorme 00h com muita briga!!! Não consigo mudar de jeito nenhum, é o ritmo dele… o pediatra já disse… ele tem q dormir a noite… e ele dorme, só q depois das 02h.
    O dia q ele dorme 00h acorda as 11h30 tbm… e o dia dele rende muito mais… só q a avó não consegue fazer ele dormir de jeito nenhum…
    Qdo 1 vez ele dormiu as 21h… 8h da manhã ele estava acordadinho enquanto eu estava podre de sono e mal conseguia ficar com os olhos abertos… acredito q cada criança tenha um ritmo, apesar q dormir a noite na minha opinião é essencial pros pequenos!!!!

  2. alicia disse:

    dormi aqui em casa sempre foi um problema,ate os 2 meses não passava de 30 min. dormindo,eu ficava acabada,depois dormia umas 2 horas,e só foi dormir uma noite inteira com 1 e 4 meses,,mas dorme com muito trabalho a noite dorme mamando e toma metade dorme e acorda meia hora depois pra tomar o resto,mas o sono da tarde é briga todo dia,digo briga pois fico falando vai dormir e ela insiste em não dormi grita.ta dificil,ela acorda as 10 a soneca da tarde acontece pelas 4.mas demora e acaba dormindo as 5,mas se ela não tira o cochilo fica irritada,minha esperança é q com os 2 ela melhore,hj ela tem 1 e 6!mas mãe q não dorme fica estressada msm!

  3. Tati disse:

    kkkkk meu filho não gosta de dormir no carro…. rsss já viajamos por 5 horas e nadaaaaaaaaaa. O que faço é controlar mesmo as sonecas. Sempre fiz o controle com auxílio da ped. e do homeopata e me ajuda até hoje. Aliás uma dica para o site “Disturbio de Sono Infantil” um tema que me deixa de cabelos em pé e no caso do meu filho é bem acentuado!!

    Bjs

  4. Então quem não tem carro está em péssimos lençóis nessa fase, hein!rsrsrsrs

    • Nívea Salgado disse:

      Ha,ha,ha, adorei o comentário, Nayane!!!
      Certamente há outras formas de lidar com essa fase, e quem descobrir fique à vontade para nos contar aqui!
      Obrigada pelo carinho com o blog, espero sempre seu contato!
      Um beijo,
      Nívea

  5. Haydee Barros disse:

    já pensou, tenho gêmeos estão com 1 ano e 5meses Pedro Paulo e Sofia quando um acorda geralmente o outro também ou seja é uma dupla transição! rsrsrs

  6. Tatiana disse:

    Oi gostaria que algumas mamães compartilhassem Congo ficar em que põem estar fazendo minha bebê perder o sono a noite! Na verdade ela nunca dormiu bem desde o nascimento, ela está com to ano e to mês, mas agora ela dorme por volta das 21:30 acorda lá pelas 2 e acreditem não dorme mais! E isto vai até de manhã! Faz uns fez dias eu e meu marido não sabemos o que fazer, achamos que o erro está em nós porque ela é adoravel, não da nenhum trabalho o dia todo. Nós ajudem

    • Nívea Salgado disse:

      Oi, Tatiana, como estão as coisas? E a pequena, acordando depois das 2h da manhã? Nessa fase de transição de sonecas é uma loucura mesmo!!!!
      Se ela está acordando ainda nesse horário e não dorme mais, acho que pode ser uma boa ideia acabar com a segunda soneca do dia. Ela vai ficar cansada nos primeiros dias, principalmente ao fim do dia, mas depois de uma ou duas semanas ela vai estar bem melhor.
      Depois me conta se deu certo?
      Bjs!
      Nívea

  7. Fernanda disse:

    Difícil saber o q é certo ou errado!
    Sou mãe de um casal de gêmeos e sempre procurei ter ritmos iguais para os dois; do contrário é loucura para mim..
    Hoje estão com 2 anos e 4 meses, o sono segue assim: acordam às 8 da manhã, soneca do meio dia até às 14/ 14:30 e dormem às 20:30. Uma época eles queriam dormir por volta das 18h, o q era terrível pq acordavam com a energia renovada e dormiriam por volta das 23:00. Isso para mim está fora de cogitação! Então não deixava eles dormirem às 18… Logo acostumaram e respeitam esse horário.
    Antes, eu tive babá 24 horas até eles terem 9 meses. Qdo foram embora o sono e soneca era todo desregulado… Então, eu os colocava na cama quando eu achava q era hora de dormir, estando com sono ou não… Choravam, mas não tirava. E também só os tirava quando eu achava que já era hora de levantar. Depois de 3 dias tudo se normalizou.
    Semana q vem começa a aula deles, q será de manhã… Esse horário mudará… nova adaptação!

  8. Dayene Souza disse:

    ola tbm nao sei mais oq fazer meu filho tem 1 ano e meio eu nao tenho
    mais leite no seio mas mesmo assim ele faz ele de chupeta toda vez pra
    dormir o pior e que nao posso nem me mexer tenho que ficar com o peito
    na boca dele a noite inteira nao aguento mais estou exaustaaaa ele nao
    chupa bico nem nada nao e fome pq ele bebe leite no copinho dele come de
    tudo ele ja ta grande e quando deixo ele chorando pra ver se ele dorme
    no berço ninguem aguenta chora a noite inteira e nao dorme oq eu
    faço???me ajudem

  9. Para quem esta de carro e com arzinho ligado e tem tempo tbm para sair de casa nesse calorão MT bom,mas nem todas temos….postagem fútil essa!

    • Ticiany disse:

      Pelo contrário Larricia. Foi muuiiiito útil esse post pq me ajudou a esclarecer um dilema terrivel que estou passando esses dias.
      E para quem não tem carro, serve o carrinho, uma rede, uma outra opção que você pode tentar sem preguiça descobrir por si mesma que funcione pra seu bebê
      E não precisa ser agressiva assim na internet, pq nem tudo que não serve pra você é fútil para todos 😉

  10. Grasiela disse:

    Quanto tempo dura essa transição? Gente, eu não tenho energia e paciência para ficar com a criança ligada o dia todo!! Pelo amor!!!! Também não dirijo, senão seguiria sua dica!

    • Nívea Salgado disse:

      Oi, Grasiela,

      A duração da transição varia muito de bebê para bebê, mas em geral dura algumas semanas (1 a 2 meses). Mas passa, fique tranquila!

      Beijos

  11. Manuela disse:

    Meu filho vai fazer 3 anos… E está bem complicado para tirar a soneca pela manhã já q ele estuda a tarde.
    Se não cochila, às 19h capota e só acorda às 7h da manhã, e se cochila dorme lá pelas 21h e acorda umas 6:30h.
    É preferível que não cochile e durma bem à noite com 12 horas de sono ou melhor insistir no cochilo?

    Obrigada

  12. Fernanda disse:

    Olä, muito legal seu blog. Verdadeiro…
    Meu pequeno tem sete meses e meio agora, mas desde os 6 meses o sono dele virou minha maior preocupação. Desde o nascimento dormiu somente três noites inteiras… Tinha uma boa rotina, estava acordando menos vzs por noite e como num passe de magica começou a acordar de uma em uma hora. Sono picado do bebe= mamae um caco de gente. Jä tentei de tudo, fico me culpando, e tento mais um vez. É bom ler teu depoimento de sair de carro pra criança tirar uma soneca de carro. Falam que vai “viciar” o bebe, mas nós maes precisamos da nossa sanidade mental para poder cuidar deles, né. As explicações sao tantas: sao os dentinhos, pode ser refluxo, saltos de desenvolvimento, aprendeu novas habilidades, etc etc, que a certo ponto nem de consolo nos servem mais. Vou dizer que hoje desisti: cada dia é um dia e vamos lá. Hehe. Se tiver que sair de carro, dormir na teta, dormir na cama dos pais, embalar até os braços cairem no chão, assim serä.
    Me conforta em saber que todas as maes tem algum perrengue com os seus pequenos. O que nao pode faltar é amor e atenção. Essa noite ele acordou duas vzs para mamar e mais um no inicio da manha que esticou o sono… A proxima quem sabe como serä!!!
    Bjuss

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail