Como levar seu filho ao restaurante (sem ser expulsa do local)

Por 12 Comentários


Uma das coisas de que eu sentia mais falta depois do nascimento de minha filha era sair para jantar com meu marido. Desde o início optei por seguir uma rotina razoavelmente rígida com ela, até mesmo porque ela foi uma criança que chorava muito e qualquer mudança em seu ritmo de sono a deixava mais irritada. Além disso, Catarina não dormia bem fora de casa (a não ser no carro), e sair com ela à noite ou em um outro horário que alterasse suas sonecas era pedir para estressá-la, e portanto, acabar com o prazer do passeio.

Agora com quase dois anos, já consigo levá-la em alguns jantares, felizmente. Demorou (só quem é mãe e já ficou um tempo semelhante sem muitos passeios noturnos sabe a falta que isso faz!), mas enfim chegou o tempo em que posso atrasar seu horário de dormir sem que a madrugada seja um circo de horrores. Catarina foi dormir mais tarde? Então também acorda mais tarde (e não às 6:30h como era comum que ela acordasse, mesmo que tivesse ido dormir de madrugada! E sem compensar o sono, ficava extremamente brava por uns 3 ou 4 dias, preço alto demais a ser pago por um jantar fora de casa).

Mesmo assim, tenho que tomar alguns cuidados antes de aceitar um convite para ir a um restaurante com ela. E providenciar um esquema que permita que realmente aproveitemos a saída, sem gritos ou ataques de choro. Vamos às dicas!

1)      Reconheça o limite do seu filho.

Eu acho que fazendo isso, você já aumenta muito as chances de ter uma saída agradável. Isso quer dizer saber até que horário ele fica acordado numa boa (e esse limite vai ficando mais elástico conforme seu filho cresce), que tipo de ambiente o perturbaria (há crianças que ficam muito incomodadas com barulho, por exemplo).

 

2)      Explique a seu filho sobre a saída.

Sim, as crianças entendem muito bem quando você conversa com elas. Se eu mudo a rotina de Catarina sem explicar a ela o porquê daquilo, ela reclama bastante. Mas se eu explico o que está acontecendo, para onde vamos, quem estará lá, por que estamos indo, ela se comporta mil vezes melhor.

 

3)      Não esqueça os itens primordiais.

O que acalma seu filho antes de dormir? Uma mamadeira, a chupeta, um de seus brinquedos? Leve a tropa toda, pois se ele quiser dormir, se sentirá mais tranquilo. Ter um carrinho grande e confortável para o bebê dormir ajuda muito nessas horas.

 

4)      Leve distração.

Brinquedinhos para os mais novinhos, lápis de cor para os que já conseguem pintar, adesivos, eventualmente até os joguinhos do seu celular podem quebrar o galho. Evite os brinquedos com musiquinhas, pois o casal da mesa ao lado pode achar aquilo deveras chato (e cá entre nós, com razão). O restaurante tem algum atrativo para crianças (área de lazer ou brindes)? Ponto para ele!

 

5)      Peça algo para seu filho comer.

A maior distração de Catarina num restaurante é COMIDA! Se pedirmos algo de que ela gosta, a menina come com um gosto que só vendo! E criança que está entretida comendo é criança bem comportada.

 

6)      É mais fácil sair com outros casais que têm crianças.

A começar pelo horário: quem tem filho pequeno costuma jantar mais cedo. E ter outras crianças na mesa pode ser um bom atrativo para seu filhote. Eles brincam, se entretêm, os pais se revezam na monitoração… E no fim você conseguiu comer sem que seu filho ficasse 100% do tempo grudado em você.

 

7)      Prefira restaurantes com serviço rápido.

Se o “tempo fechar” porque seu filho já ultrapassou o limite do cansaço, você já terá comido alguma coisa. Evite chegar nos horários de pico, em que você perderá tempo na espera e seu pedido tende a demorar para chegar.

 

8)      Sair com seu filho também é um treino.

Então não espere que dê tudo 100% certo desde a primeira vez. Problemas no meio do caminho são super normais e quer saber? Tudo bem! Pense que da próxima vez será melhor, reavalie o que poderia ser feito para deixar o filhote mais à vontade e bom jantar!

 

E você, tem alguma dica para levar os filhotes ao restaurante sem estresse? Conta pra gente!




Arquivado em: AlimentaçãoDicas de mãePasseios Tags:

Comentários (12)

Trackback URL

  1. Acho que é cedo pra falar mas eu ainda não tive problemas nas saídas para restaurante com o meu filho.
    Ele vai fazer 6 meses na próxima semana, e nós vamos a restaurantes desde que ele completou o primeiro mesversário.
    O que eu faço: dou banho antes de sair e uma boa mamada. Normalmente durante o percurso de carro ele cochila e quando acorda não trabalho!
    Sempre procuro ir a restaurantes com ar condicionado e que não sejam tão agitados!!!

    PS.: Amei o gorrinho do papai noel lá em cima no nome do blog.

    Beijos

    • Ana disse:

      É…ainda é MUITO cedo pra vc falar isso amiga… enquanto n~]ao faz 8..9 meses que ja começa a sentar, pegar as coisas..é ótimo!!!! O meu tem 1 ano e 3 meses e é terrível..tem que levar o mundo pra distrair ele… se a comida demorar muito começa a chorar e ai é um pererê.

  2. Daniela disse:

    ADOREI! ADOREI!!!!

    Tive algumas crises com a Laura, mas, tbm, nunca fui de sair com ela. Sempre fui taxada como a mãe chata que não leva a filha para lugar nenhum, a filha que dorme sempre no mesmo horário, da mesma forma, a mãe xiita, radical… mas só a mãe sabe como é horroroso ter uma criança com sono em um restaurante e sem diversão suficiente para mantê-la bem humorada.

    Adorei as dicas, é bem isso mesmo!

    Beijos!

  3. Daniela disse:

    vc vai no encontro dia 25?
    quero muito ir, mas não sei se a laura estará recuperada o suficiente…

    veremos…

  4. Tenho dificuldade ao sair com meu filho Jaziel (1 ano e 9 meses) – ele não fica no colo e nem sentado por muito tempo – o negócio dele e correr, mexer nas mesas e tudo que possa ser de livre acesso… evitamos levar ele em algumas saídas noturnas (deixamos com avó), sei que teríamos que ir acostumando ele nesses lugares, mas na minha cidade não tem lugares adaptados para crianças (fica difícil), vai que ele resolve fazer o "Número 2" – não existe (nenhum restaurante, lanchonete) lugar para trocar uma criança.Vamos esperar ele entender mais os regras ao sair. Mas amei suas dicas. Bjs

  5. Maikely Caceres disse:

    Tenho dificuldade ao sair com meu filho Jaziel (1 ano e 9 meses) – ele não fica no colo e nem sentado por muito tempo – o negócio dele e correr, mexer nas mesas e tudo que possa ser de livre acesso… evitamos levar ele em algumas saídas noturnas (deixamos com avó), sei que teríamos que ir acostumando ele nesses lugares, mas na minha cidade não tem lugares adaptados para crianças (fica difícil), vai que ele resolve fazer o “Número 2” – não existe (nenhum restaurante, lanchonete) lugar para trocar uma criança.Vamos esperar ele entender mais os regras ao sair. Mas amei suas dicas. Bjs

  6. alicia disse:

    bom nesse setor tive sorte,minha julia ta com 1 e 6 meses,e não da trabalho fica quietinha o segredo é dar comida pra ela pois adora comer,rsrsr!bjs

  7. Também acho que é cedo pra eu falar porque o Miguel só tem três meses mas ainda não tive problemas em restaurantes. Desde um mês é o lugar que ele mais freqüenta. Uma dica que pra mim é importante é saber se o local está preparado para receber o meu filho. Se o restaurante não tiver um trocador (pelo menos) escolho outro. Encontrei bastante opção assim em SP. Até um lugar despojado da Vila Madalena, com mesinhas na calçada, chamado Galinheiro, tem trocador para as mamães. Adorei. Já estou anotando aqueles que oferecem papel e giz de cera pra quando ele estiver maiorzinho.

  8. Thais disse:

    Também saio p restaurante com minha bb desde K ela tinha 1 mês
    Agora ela está fazendo 4.
    Qd saio mais tarde coloco ela no sling e ela dorme o jantar todo.
    Por enquanto nem dá tanto trabalho … Vamos ver qd cresce né …
    Bjo

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail