Ronco do bebê e a relação com problemas de comportamento

Por 13 Comentários


Gostaria de compartilhar com vocês os resultados de um estudo americano recentemente divulgado que analisa a relação entre o ronco do bebê e problemas de comportamento. Os pesquisadores avaliaram 249 crianças e suas mães e descobriram que aquelas que roncavam aos 2 e 3 anos de idade eram 3,5 vezes mais propensos a desenvolver problemas comportamentais, comparados às crianças que não roncavam ou que roncaram durante apenas um ano desse intervalo de idade. Agressividade e hiperatividade foram os distúrbios mais facilmente encontrados.

ronco do bebê

Imagem: Google

Isso poderia ser explicado porque o ronco é um sinal de que a criança não está respirando bem durante o sono (em decorrência de um resfriado, alergia ou aumento das adenóides). E você, que é mãe, já sabe: criança que não dorme bem fica muito mais manhosa, agitada e irritada, não é?

Nesse estudo foi demonstrado que estados de ronco passageiros, em decorrência de estados gripais isolados, por exemplo, não são preocupantes, e sim a ronqueira prolongada. E que bebês amamentados ao peito estariam menos sujeitos ao problema, pois o estímulo da amamentação contribuiria para modelar sua estrutura facial de forma a melhorar a respiração. Além disso, esses bebês receberiam através do leite materno os anticorpos provenientes da mãe, e por isso ficariam menos sujeitos a infecções recorrentes (que contribuem para deixar o nariz do bebê entupido por longos períodos).

Então se seu bebê já ronca há bastante tempo, fique atenta! Procure o pediatra e relate o caso. Ao que parece, quando removida a causa da dificuldade de respiração, a criança volta a dormir melhor e os sinais dos distúrbios de comportamento também desaparecem.

Fonte: Pediatrics

Clique para ver outros posts sobre saúde dos filhos.




Arquivado em: SaúdeSono do bebê Tags:

Comentários (13)

Trackback URL

  1. Daniela disse:

    Meoooo Deoooosss!
    A Laura ronca MUITO! Muito, muito, muito!

    Ela ronca, funga e vejo que, nitidamente, tem dificuldade para respirar quando dorme – por isso até pingo aturgyl nela beeem de vez em quando, naqueles dias em que vejo que a respiração está pior, muito pior. Não entendo isso, achei que fosse por causa da chupeta….

    Nossa, vou falar com o pedi dela sobre isso djá!

    (ainda bem que temos a consulta trimestral na semana que vem!)

    Beijos, Niiiiii!!

    • Marici disse:

      A minha filha passou a roncar muito quando fez 3 anos. O resultado do exame mostrou uma adenoide aumentada (raio x super simples e rápido). O Otorrino receitou Singulair durante 3 meses, que é o remédio usado para controle da adenoide (antes de partir para outros procedimentos mais invasivos) e enquanto aguarda ver se o próprio crescimento do corpo resolve o problema. Eu sinto que melhorou bastante. Ela ronca muito pouco ou só quando fica resfriada. Não pingamos nada, mas fazemos muita inalação e soro fisiológico. O Otorrino sugeriu Afrin mas a pediatra desaconselhou. Agressividade e hiperatividade eu não senti, mas ela tinha mais cansaço durante o dia.

  2. Singulair é uma droga extremamente perigosa. A nova conduta da ARIA (Associação de Rinite Alérgica e Asma) não indica Singulair para nenhuma criança com menos de 6 anos de idade. O FDA alerta para distúrbios neuropsiquiátricos, dentro de muitos outros. Todo cuidado não é suficiente quando se administra Singulair para crianças. Vou escrever uma revisão em português por que não tem nada em português fora esse blog e mais menos de meia-dúzia.

    • Lizzie disse:

      Todo o medicamento, até mesmo a aspirina ou paracetamol que você toma pra dor de cabeça tem riscos e efeitos colaterais. Por isso mesmo que só se deve tomar remédios com PRESCRIÇÃO MÉDICA. Quem sabe avaliar os prós e contras de um determinado remédio é o médico, não estudos (nem um pouco confiáveis) de internet ou matérias sensacionalistas. Muito cuidado com as ditas lendas de internet, onde se condena esse ou aquele medicamento!

  3. Nívea Salgado disse:

    Agora sou eu quem faz o alerta: não descontinue nenhum medicamento de tratamento para asma sem o conhecimento e consentimento do seu médico pediatra. A avaliação do uso de cada medicamento deve ser feita caso a caso, levando-se em consideração os riscos e benefícios para a criança.

    • Lizzie disse:

      Certíssima Nívea! A internet muitas vezes acaba se tornando uma vilã, quando não se tem discernimento pra diferenciar o que é um estudo ou trabalho sério e o que são lendas de internet. Só quem pode dizer se determinado medicamento é seguro para essa ou aquela pessoa é o médico! No caso do Singulair, que é usado para tratamento de asma, bronquite e outras alergias respiratórias, quem pode avaliar o uso com propriedade é o pneumologista, otorrino ou pneumopediatra.

  4. Brenda Aquino disse:

    minha filha tem 6 meses e de vez enquanto ela ronca e normal?

  5. Oi, Brenda. Se ela ronca quando está resfriadinha ou sarando de um resfriado, é normal, porque ainda deve estar congestionada. Mas se o ronco é mais frequente do que isso, vale questionar seu pediatra. Se necessário tratamento, certamente ele poderá te orientar (até para que possa dormir melhor!).
    bjs,
    Nívea

  6. meu bb ronca ele tem 4meses tou muito preocupada.

  7. Sueli Feitosa disse:

    Minha filha tem 3 anos e está roncando muito que até chega a engasgar estou muito preocupada.

    • Nívea Salgado disse:

      Oi, Sueli,

      Eu procuraria um pediatra e contaria sobre isso, com certeza. Ela pode estar com a adenoide muito aumentada, o que dificultaria sua respiração. É importante saber a opinião de um profissional médico nesse caso, ok?

      Beijos,

      Nívea

  8. douglas machado disse:

    Olá, eu tenho uma filha com obesidade infantil. Ela tem menos de um aninho. Quando ela dorme, ela ronca.. Será que pode ser consequência de ela ter obesidade infantil?

    • Nívea Salgado disse:

      Oi, Douglas,

      Infelizmente não tenho essa resposta. Mas vou procurar saber e se identificar uma fonte confiável, mando para você.

      Um abraço,

      Nívea

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail